Quero trabalhar com estética humanizada, como faço? É muito caro?

Quem me conhece sabe que, ao longo de meus quase 20 anos na profissão de saúde estética, sempre defendi a qualidade no atendimento. E a qualidade passa pela escolha de produtos seguros e eficazes, adequados à necessidade apresentada por determinada alteração inestética, pela recepção do cliente para o atendimento e pela forma como será conduzido o procedimento e protocolo em si. É aí que entra o tema que desejo abordar com vocês hoje: estética humanizada. Muitas pessoas têm me procurado interessadas em saber mais sobre o tema e em como aplicá-lo no seu dia a dia de trabalho, o que me deixa muito feliz em poder ajudar, além de disseminar essa ideia.

Como eu expliquei logo no início, ao longo de minha carreira, sempre prezei pela qualidade do trabalho do profissional e que se reflete justamente em humanizar o atendimento. Falar em humanização é colocar o ser humano como ponto central, valorizando-o como pessoa, por sua essência e por toda a história de vida que ele carrega. E isso não custa caro tampouco necessita grandes investimentos financeiros, a não ser o investimento que você faz como pessoa enquanto profissional, doando sua atenção e cuidados, zelando por todos os detalhes que envolvem cada tratamento e cada cliente que chega até você.

E isso eu sei que você, profissional, tira de letra. Sempre costumo falar que quem escolhe trabalhar com estética não escolhe uma profissão, e sim que abraça uma missão de vida. E faço questão de tirar o meu chapéu (e o meu jaleco) para aplaudir cada um de vocês profissionais que, assim como eu, se dedicam ao aperfeiçoamento técnico. Conheço muitos profissionais e valorizo o esforço de cada um que busca capacitação, que investe seu tempo e recursos em cursos, em congressos, ou seja, em aprendizado, mesmo que para isso tenha que passar finais de semana longe da família, dos amigos, do lazer, mas sempre pensando eu seu crescimento e no que pode fazer de melhor para cumprir essa missão que é atuar na estética.

Estética humanizada é demonstrar o interesse pelo outro, indo além das aparências que a estética nos mostra. É trabalhar com um prontuário estético detalhado (nossa antiga e tão conhecida ficha de anamnese), para conhecer cada necessidade e particularidade de quem nos procura para tratar uma alteração. Isso nos permite compreender melhor cada caso, direcionando inclusive o tratamento de forma mais assertiva, o que também proporciona resultados mais satisfatórios.

Afinal, uma gordura localizada não é apenas uma gordurinha que se instalou em determinada região do corpo. A celulite não é um mero conjunto de “furinhos” que deixa a pele com o tão conhecido (e temido) aspecto casca de laranja. As espinhas (que na estética costumamos tratar pelo termo mais técnico – acne) nos adolescentes e mesmo nos adultos podem ter causas que vão muito além das inflamações na pele, originadas de uma pele oleosa. Todas essas alterações inestéticas e muitas outras podem – e geralmente – sofrem influências de diferentes fatores, como alimentação inadequada, distúrbios hormonais, alterações fisiológicas do organismo, entre muitas outras.

Dessa forma não adianta tratar apenas a consequência, é preciso agir diretamente na causa. É por isso também que falamos tanto da importância de se conhecer sobre epigenética e sua influência na estética (mas esse assunto abordaremos com mais detalhes em um outro post). Os cuidados em um tratamento estético devem começar já pela escolha dos cosméticos, lendo o rótulo e conhecendo os ingredientes e sinergia de ativos. Não escolha somente pela marca famosa, pelo rótulo chamativo ou pela propaganda que viu na mídia (Leia mais sobre o assunto em: Bom produto ou boa marca?). Muitos produtos que estão no mercado e que várias pessoas consideram o que há de top, muitas vezes trazem substâncias que trabalham contra os resultados que desejamos. E isso infelizmente prejudica não apenas os resultados do tratamento em si, mas também nossa imagem como profissionais.

Todo esse conhecimento e olhar amplo para o contexto do ser humano em si no que se relaciona aos tratamentos estéticos é o que temos chamado de estética humanizada. Não basta excelência e eficácia técnica no atendimento, é necessário humanização. Embora eu sempre tenha lutado e disseminado essa causa, ano passado (2016) decidi levantar essa bandeira com mais afinco e venho buscando apoio para divulgar mais fortemente o conceito de estética humanizada, aos quatro ventos mesmo, de norte a sul do país. Aliás, desejo extrapolar fronteiras, tornando o tema amplamente conhecido para que de alguma forma isso ajude a despertar nos profissionais de saúde estética esse olhar mais humanizado e também para que o consumidor esteja mais atento ao atendimento que lhe é prestado.

Afinal, estética humanizada é mais do que uma ideia ou conceito, é um direito do ser humano, de ser atendido de forma segura, responsável, dentro de um conceito global que busca cuidar do bem-estar de todos, tendo consciência que cada cliente/paciente atendido é um ser único que merece cuidados e atenção especiais, ele não é apenas mais um na sala de espera, aguardando atendimento, e menos ainda é mais um deitado em minha maca, para que se cumpra uma série de aplicações e procedimentos estéticos de forma automatizada. Profissionais de saúde estética não são e nem devem agir de forma robotizada e consumidores não devem ser tratados como objetos industriais de produção em série.

É preciso dar um basta nos efeitos negativos que a indústria da beleza movimenta na economia e que acaba estimulando um consumo, muitas vezes levando em consideração apenas o preço baixo, de beleza a qualquer custo, sem pensar em qualidade de produtos e técnicas aprimoradas. É preciso dizer não à banalização dos atendimentos, de pacotes fechados por áreas de tratamento, de compras coletivas de tratamentos e protocolos que não olham o contexto de necessidades e particularidades que cada indivíduo traz consigo.

Com a estética humanizada, o profissional de saúde estética passa a ter em suas mãos a responsabilidade de uma atuação muito mais ampla. Ele deixa de ser um “aplicador de cosméticos” e passa a ter importância dentro de um contexto maior, sendo justamente aquele que utiliza seus sentidos e conhecimentos para determinar tratamentos personalizados e exclusivos para seus clientes, estando capacitado para essa assistência integrada e entendendo que as alterações inestéticas devem ser encaradas a partir de um contexto amplo.

Analisando todos esses fatores que abordei aqui, pode ser que em alguns momentos você se pegue pensando que talvez seja mesmo necessário fazer algum investimento financeiro em infraestrutura para proporcionar um ambiente mais seguro e adequado ao bem-estar dos frequentadores, afinal, os profissionais de saúde estética precisam ter condições adequadas de trabalho, com espaços confortáveis em seu ambiente profissional tanto para ele como para quem vai desfrutar daquele serviço, com respeito à individualidade, buscando fornecer um melhor atendimento aos clientes, de forma personalizada.

Mas acredite: com um bom planejamento e buscando alternativas e soluções inovadoras tudo se tornará mais fácil do que parece e você conseguirá transformar o ambiente com recursos simples que estão ao seu alcance: um local bem arejado e fresquinho, com boa iluminação, o charme e simpatia de uma decoração simples, mas de bom gosto, com uma fonte de água por exemplo, que transmite uma sensação de energia renovada e de tranquilidade muito boas para o ambiente, um bom cafezinho e um chá caprichado. Como costumava dizer o famoso pintor Leonardo da Vinci, a simplicidade é o último grau de sofisticação. A princípio esses detalhes podem parecer pouco, mas eles são capazes de fazer a diferença no contexto do atendimento. E o melhor, custando pouco. Mas o retorno, com certeza, será satisfatório.

Por fim, deixo o meu convite: renda-se à estética humanizada. Ela mudará sua forma de ver e de ser visto.

Grande abraço a todos!

3 comments

  1. Já trabalho na área e o meu trabalho e mais na área de massagem realmente , sou muito detalhista, gosto muito de trabalhar a parte emocional tbm dá minha paciente então por esse motivo óleos aromáticos são essenciais e enfim produtos de boa qualidade e gosto muito de trabalhar com produtos mais naturais como argilas , e etc… Por este motivo a estética humanizada para min é mais interessante

  2. O ser humano como humano, único. Nada de vê-los como cifras, cada um com sua individualidade, especial e diferente. Estética deve sempre ser humanizada. Você é sensacional com as palavras. ❤

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *