Síndrome da Desarmonia Corporal: ativos e comprovação de resultados.

Comparação entre corpo de mulher magra e corpo de mulher obesa.

RESUMO

Devido a mudança de vida e de postura dos clientes que procuram tratamento estéticos corporais, é importante que os clientes sejam atendidos em suas necessidades. Através da sinergia de ativos a Buona Vita cosméticos criou um protocolo de tratamento que atua na Síndrome de Desarmonia Corporal (SDC) em todas as sua alterações simultaneamente. Após padronização do protocolo de aplicação foi realizado estudo de caso em 20 voluntárias com análise de resultados através de exames clínicos: perimetria, pesagem, plicometria, bioimpedância e exames bioquímicos de sangue e urina, para avaliar possíveis alterações, e acompanhar o andamento do protocolos. Os resultados de exames clínicos foram extremamente importantes pela avaliação de diminuição de muitos parâmetros comprobatórios do resultado da aplicação do protocolo. E os exames bioquímicos complementaram a comprovação dos resultados e mostraram que não há riscos na aplicação deste tipo de tratamento. Uma voluntária foi submetida a Tomografia Computadorizada para mensuração da espessura de tela subcutânea (camada adiposa), em 5 cortes e comprovou-se a diminuição em 4 deles, o que pode afirmar que nesta voluntária houve ação do tratamento nesta camada.

INTRODUÇÃO E OBJETIVO

A busca constante pelo corpo perfeito tem cada vez mais direcionado as pessoas a buscarem tratamentos estéticos, e o que esperam é resultados mais rápidos e duradouros. O diferencial é oferecer a estes cliente formulações cosméticas completas para facilitar sua aplicabilidade.

O objetivo deste trabalho é demonstrar a possibilidade de resultados eficazes através de um tratamento de Lipodistrofia Localizada (gordura localizada) e Paniculopatia-edematofibroesclerótica (celulite), utilizando como principal recurso a cosmetologia potencializada pelos movimentos de massagem clássica.

SÍNDROME DE DESARMONIA CORPORAL

Gordura localizada masculina
Pessoa com gordura localizada.

Segundo o Prof. Dr. Miguel Francischelli Neto, esta síndrome representa o somatório das alterações corporais inestéticas que tanto afligem as mulheres, sendo as duas principais a Lipodistrofia Localizada (gordura localizada) e Paniculopatia-edematofibroesclerótica, além das alterações de tônus muscular causadas pelo sedentarismo. Dentro da cosmetologia e das técnicas manuais para este tipo de tratamento, a possibilidade de resultados é nas duas primeiras.

O tecido adiposo é responsável por funções essenciais para o funcionamento do organismo como, metabolizar e secretar composto proteico e não proteicos, absorver choques mecânicos, isolamento térmico, reserva de energia, modelagem corporal preenchendo os espaços, além de auxiliar na fixação dos órgãos (Guirro e Guirro, 2002). Sendo que os homens podem ter de 15 a 20% da composição corporal de gordura e as mulheres de 20 a 25%.

Quando existe um desequilíbrio entre a ingestão calórica e o gasto, há armazenamento na forma de gordura, que constitui a segunda camada da pele, chamada tela subcutânea porém também há o tecido adiposo visceral abaixo da musculatura, o qual os tratamentos estéticos não atuam. As células (adipócitos) que compõem o tecido adiposo tem extrema capacidade de aumentar de tamanho pois segundo Vague 2001, em condições patológicas como obesidade pode aumentar acima de 100% seu peso.

A lipólise dos triglicérides armazenados nos adipócitos pode acontecer por estímulo de moléculas efetoras ou hormônios neurotransmissores (Arner, 1996 e Wolf 2005). Quando estimulada por hormônios chamados catecolaminas (adrenalina e noradrenalina), que são liberadas por terminações pós-ganglinares dos neurônios simpáticos do tecido adiposo, atuam nos receptores presentes na membrana adipocitária (β1, β2 e β3) que por sua vez estimulam a lipase hormônio sensível enzima específica para ação lipolítica.

Modelo com lipodistrofia localizada.
Modelo com gordura localizada em flancos.

Lipodistrofia Localizada é uma alteração da distribuição e do tamanho dos adipócitos, o que é certamente uma das maiores preocupações das mulheres. Este acúmulo regional (localizado) está relacionado com o sexo (Ciporkin e Pachoal, 1992) sendo que no homem o maior acúmulo ocorre na região abdominal e na mulher na região femoroglútea (culote).

Os adipócitos das regiões fêmoro-glúteas na forma ginoide têm maior volume e são dependentes dos hormônios sexuais femininos. São mais estáveis e resistentes à lipólise, por uma maior atividade da lipase lipoproteica e por existir um predomínio do efeito alfa-2-adrenoreceptor.

Na etiopatogenia da lipodistrofia, temos como elementos causais mais frequentes o sedentarismo, o estresse, os antecedentes familiares, o tabagismo, alterações hormonais como a elevação do estrogênio, da aldosterona, da prolactina e da insulina, síndrome pré-menstrual, uso de anticoncepcionais, dismenorreia, algumas alterações ortopédicas sépticas e a patologia venosa ou linfática (Ribeiro, 2006).

Partindo da alteração dos adipócitos a PEFE é uma alteração de característica feminina referenciada pela primeira vez em 1904 por Stokmann. É uma entidade clínica independente da obesidade, porém as pacientes podem apresentar alteração da massa adiposa.

Para Ciporkin e Paschoal (1992), FEG é uma infiltração edematosa do tecido conjuntivo subcutâneo, não inflamatório, seguido de polimerização da substância fundamental, que se infiltrando nas tramas produz uma reação fibrótica consecutiva.

De acordo com a classificação proposta por Ulrich, existem três graus de PEFE. O grau I ou brando ocorre quando as alterações cutâneas são percebidas somente durante a compressão dos tecidos (teste de casca de laranja ou contração muscular) geralmente na posição ortostática, pois quando a pessoa está deitada frequentemente não se percebe sua presença. O grau II ou moderado apresenta as alterações cutâneas de forma espontânea, sem compressão dos tecidos, pode ser visível com a voluntária deitada e com as margens bem delimitadas. O grau III ou grave apresenta alterações cutâneas tanto em posição deitada ou em ortostatismo,ficando com a pele enrugada e flácida adquirindo a aparência do chamado saco de nozes.

SINERGIA DE ATIVOS COSMÉTICOS

Modelo passa cosméticos na região abdominal.
Mulher passa cosméticos no abdômen.

Um tratamento estético para ser completo deve focar todas as alterações causadas pela SDC, como já vimos, o início do processo causador da Síndrome de Desarmonia Corporal ocorre na tela subcutânea pelas alterações das células adipocitárias. Dentro das condições anatomofisiológicas é importante abranger todas as etapas do processo de lipólise bem como aumento da microcirculação tecidual e redução de acúmulo de líquido local o que é proposto pelo protocolo de tratamento com a linha Bio Plus da Buona Vita.

Este protocolo inicia-se pela higienização, através do produto Higisystem Buona Vita fluido para assepsia e hidratação cujos ativos são: Clorhexidine, Dimeticone e Ureia de aspecto líquido transparente cor verde claro e pH: 5,8 – 6,5.

Após higienizar o local realiza-se a gomagem (esfoliação com objetivo de diminuir a espessura do estrato córneo) com o produto Peeling Buona Vita um creme esfoliante que contém extrato de Camomila e micropartículas sextavadas homogêneas de polietileno. Este procedimento deve ser realizado 1 (uma) vez na semana.

Na sequência é utilizado o Fluido Térmico Buona Vita, fluido hiperemiante, sendo o objetivo neste momento aumentar a circulação periférica e, consequentemente, aumentar a penetração dos ativos. Este fluido contém: extrato de Castanha-da-índia, extrato de Arnica, extrato de Centella Asiática, extrato de Cavalinha e Nicotinato de Metila.

O tratamento da SDC está em dois produtos em específico, o Bio Slim Belt Buona Vita e o Bio Lift Buona Vita, a sinergia dos ativos destes dois produtos está diretamente focada.

Bio Slim Belt é uma solução eletrolítica sem corante composto por oligoelementos, flavonoides, peptídeos, saponinas, nucleoproteínas, lecitina, mucina e cafeína. Melhora a aparência geral da pele. Seus ativos estimulam o AMPc intracelular favorecendo a lipólise. Inibe os receptores α2, interrompendo seus estímulos na lipogênese (depósito de gordura dentro do adipócito) e iniciando a degradação das triglicérides. Indução de mensageiros endógenos lipolíticos que farão a eliminação dos ácidos graxos. Seus ativos são:

  • Lipolysse composto por: * Cafeína: xantina que reativa o mecanismo celular, inibindo a fosfodiesterase, enzima responsável pela conversão do AMPc em 5’AMP, L-Carnitina- aminoácido com a finalidade de conduzir os ácidos graxos até as mitocôndrias de forma a serem metabolizados em energia reutilizável pelo organismo. *Extrato de Café Verde: duplo conteúdo de xantinas (cafeína e teobromina). Inibe a absorção e o acúmulo de gordura pelas células. Estimula a lipólise e o metabolismo da gordura, *Asiaticoside: saponina isolada da centella asiática, que tem a finalidade de combater a celulite devido a sua capacidade de reestruturação das fibras de colágeno e de ativação da circulação local, promovendo a eliminação de gordura.

  • Fosfatidilcolina 100% insaturada: Provoca a solvatação dos trigliceroides transformando em glicerol e ácido graxo.

  • Xantalgosil C: Acefilina combinada ao silício orgânico, responsável pelo aumento do AMP cíclico e a inibição da fosfodiesterase. Ação regeneradora do tecido conjuntivo melhorando a microcirculação e aparência da pele.

  • Argisil C: É capaz de estimular a secreção do NO (óxido nítrico) mensageiro endógeno nas células superiores da epiderme (queratinócitos), ativa a lipólise através de receptores específicos localizados na membrana dos adipócitos. Ação antiglicação do colágeno. Indução do mensageiro endógeno lipolítico que fará a eliminação dos ácidos graxos.

  • Lanachrys: Extrato de Chrysanthellum indicum, inibe os receptores α2, interrompendo seus estímulos e iniciando a degradação das triglicérides. Ênfase no aumento natural da lipólise. Aumento na microcirculação cutânea. Efeito calmante e redutor do edema.

  • Bioex Antilipêmico: Composto lipolítico e anticelulítico contendo: Arnica, Castanha-da-índia, Centella Asiática, Cavalinha, Fucus, Hera, Erva Mate.

Bio Lift é considerado um Neurocosmético, creme para massagem que estimula o aumento de tônus e ação detox sobre as células epidermais além de efeito antipoluição. Combate a degradação das proteínas e enzimas da pele, pois é rico em glicoproteínas, peptídeos e polissacarídeos estruturais. Seus ativos são:

  • DMAE Liquid Base: Composto precursor da acetilcolina. Exerce efeito tensor na pele, causando aumento da tensão, contração da musculatura lisa e aumento da contractilidade e adesão celular. Também possui efeito antioxidante. Seu peso molecular de 89,14 daltons, proporciona alto poder de penetração no tecido epitelial.

  • Raffermine: Glicoproteína rica em hidroxiprolina, semelhante as da derme. Devido a esta semelhança é metabolizado pelas células como nutriente. Previne a degradação das fibras colágenas e elásticas.

  • Nutripeptídeos: Renovador do metabolismo celular, estimulando a proliferação de fibroblastos e reforça a ação de defesa da pele. Ativa a síntese das fibras colágenas e aumenta a capacidade de recuperação celular após situações de estresse.

  • Exsy-ARL: É um pseudodipeptídeo antipoluição e efeito detox. Combate o estresse oxidativo inicial, eliminando a formação de radicais livres e aldeídos tóxicos, agentes das ligações cruzadas nas proteínas (cross-linking). Sua ação anti cross-linking protege a integridade das fibras colágenas. Este combate a glicação das proteínas melhora o sistema de defesa da pele. Detoxifica e protege a membrana celular, aumentando a sua ação regeneradora. A sua propriedade quelante de metais de transição evita a toxidade do ferro.

Para a manutenção de tratamento, foi utilizado o produto Bio Flex Buona Vita, que por orientação deveria ser usado diariamente, pela manhã e a noite, gel viscoso e opaco que facilita a aplicação pois em um só produto estão todas as necessidades para a manutenção.. Os ativos contido nos cosméticos são:

  • DMAE Liquid Base: Um composto precursor da acetilcolina. Exerce efeito tensor na pele, causando aumento da tensão, contração da musculatura e aumento da contratibilidade e adesão celular, a pele ganha elasticidade, firmeza e tonicidade. Possui efeito antioxidante.

  • Raffermine: Contém glicoproteínas ricas em hidroxiprolina, semelhante as da derme. Devido a esta semelhança é metabolizado pelas células como nutrientes. Aumenta a elasticidade do tecido, prevenindo ou corrigindo as rugas, estrias e flacidez. Previne a degradação das fibras colágenas e elásticas.

  • Exsy-ARL: “Antipoluição” e efeito “detox”, combate a glicação das proteínas e melhora o sistema de defesa da pele, “detoxifica” e protege a membrana celular (antiglicação, antioxidação e quelação de metais de transição).

  • Fosfatidilcolina (lipoid S100): Provoca a solvatação dos trigliceroides transformando em glicerol e ácido graxo 100% insaturado.
  • Xantalgosil C: Acefilina combinada ao silício orgânico, aumento do AMP cíclico e a inibição da fosfodiesterase. Ação regeneradora do tecido conjuntivo melhorando a microcirculação e aparência da pele.
  • Argisil C: É capaz de estimular a secreção do NO (óxido nítrico) mensageiro endógeno nas células superiores da epiderme (queratinócitos), ativa a lipólise (liberação de glicerol e ácidos graxos pelos adipócitos) através de receptores específicos localizados na membrana dos adipócitos. Ação antiglicação do colágeno. Indução do mensageiro endógeno lipolítico que fará a eliminação dos ácidos graxos.
  • Lanachrys: Extrato de Chrysantellum indicum: inibe os receptores α2, interrompendo seus estímulos e iniciando a degradação das triglicérides. Ênfase no aumento natural da lipólise. Aumento na microcirculação cutânea. Efeito calmante e redutor do edema.
  • Lipolysse composto por: * Cafeína: xantina que reativa o mecanismo celular, inibindo a fosfodiesterase, enzima responsável pela conversão do AMPc em 5’AMP, L-Carnitina- aminoácido com a finalidade de conduzir os ácidos graxos até as mitocôndrias de forma a serem metabolizados em energia reutilizável pelo organismo. *Extrato de Café Verde: duplo conteúdo de xantinas (cafeína e teobromina). Inibe a absorção e o acúmulo de gordura pelas células. Estimula a lipólise e o metabolismo da gordura, *Asiaticoside: saponina isolada da centella asiática, que tem a finalidade de combater a celulite devido a sua capacidade de reestruturação das fibras de colágeno e de ativação da circulação local, promovendo a eliminação de gordura.

  • Bioex antilipêmico: Composto lipolítico e anticelulítico contendo:Extrato de arnica – Tonificante e anti-inflamatório, Castanha-da-índia – Antilipêmico e regenerador, Centella asiática – Ativador da microcirculação, estimulante metabólico e anticelulítico, Cavalinha – Adelgaçante, antilipêmico e regenerador da epiderme, Fucus – Estimulante metabólico, tonificante e ativador da microcirculação, Hera – Fortalece a parede dos vasos e estimula a absorção cutânea, Erva mate – Antilipêmico, cicatrizante, descongestionante e estimulador metabólico.

MATERIAIS E MÉTODOS

O presente estudo foi alicerçado em literaturas nacionais atinentes à histologia, fisiologia, cosmetologia e anatomia humana. Ainda, amparou-se da ferramenta internet para consultar sites de busca científica.

A aplicação dos protocolos da pesquisa foi realizada no Centro Técnico da Buona Vita Cosméticos, situada na Rua Engenheiro Niépce da Silva, 79 – Bairro Portão – Curitiba – Paraná – Brasil. A população estudada consistiu de vinte casos de voluntárias cuja principal queixa era Lipodistrofia Localizada e PEFE, nas coxas (anterior e posterior), abdômen, flancos e região trocanteriana, com idades entre 16 e 56 anos (média 35,95 anos) com período de seleção entre agosto de 2011 e setembro de 2011 onde os critérios de inclusão eram, ser mulher, ter como queixa principal a LDG e PEFE, não realizar nenhum tipo de dieta alimentar, não realizar nenhum tipo de atividade física, ter a liberação médica para realização do protocolo, estar de acordo com o procedimento e não apresentar contraindicação para a utilização dos ativos contidos na formulação cosmética. Todos os indivíduos foram fotografados antes de depois das vinte aplicações com a câmera Canon modelo 600D e objetiva Canon 18-135, foram realizadas as anamneses de forma individual, e o protocolo de tratamento determinado em vinte sessões foi o mesmo para todos.

O paciente era posicionado em decúbito dorsal, após higienização do local e esfoliação, aplicava-se a formulação cosmética de nome comercial Fluido Térmico, com espera de 3 a 5 minutos, na sequência aplicava-se o Bio Slim Belt gel com movimentos de deslizamento até total penetração, seguido da aplicação do Creme de Massagem Bio Lift com movimentos de massagem clássica (deslizamento superficial, deslizamento profundo, amassamento e rolamento). Após o procedimento na região anterior a voluntária foi posicionada em decúbito ventral e o procedimento todo repetido na parte posterior. As sessões foram realizadas duas vezes na semana durante 10 semanas. Ainda todas as voluntárias receberam o produto de manutenção diária durante o período de tratamento com a indicação de uso de duas vezes ao dia.

A metodologia utilizada para comprovação dos resultados foi, fotodocumentação como já descrito, perimetria com trena médica milimetrada, bioimpedância pelo equipamento da marca TANITA® modelo BC-558, plicometria com o plicômetro digital, exames laboratoriais de sangue e urina realizados pelo Laboratório Paraná com registro no CRF/PR – 11432 solicitados pelo Dra. Loraine Landgraf, e uma voluntária foi selecionadas para exame de imaginologia, por Tomografia Computadorizada realizados no DAPI – Centro de Diagnóstico Avançado para mensuração de espessura da tela subcutânea.

RESULTADOS E DISCUSSÃO

A visualização dos resultados foi feita pelas fotos antes e depois dos pacientes de acordo com a evolução da aplicação do protocolo. Bem como a comparação dos parâmetros de todas as solicitações de métodos realizados.

Peso corporal foi avaliado com o objetivo de verificar possíveis variações que em muitos momentos são fisiológicas, ou se haveria alguma alteração específica, que pudesse determinar indicação de obesidade. Os tratamentos estéticos não são focados na eliminação de peso e sim para a modelagem corporal sendo que os feitos são de ação local.

Sendo um dos pré-requisitos para inclusão no grupo de voluntárias o de não realizar dieta alimentar, portanto a variação exclusiva de redução não era esperada. Sendo que 12 voluntárias apresentaram redução com média de 1,5Kg, 5 apresentaram aumento com média de 1kg e 3 mantiveram peso.

Voluntária

1ª sessão

20ª sessão

Resultado

A.P.S.

68,0

66,6

-1,4

C.M.R.P.

63,4

62,0

-1,4

C.S.B.

58,9

57,3

-1,6

C.S.G.

56,6

56,7

+0,1

D.C.P.

72,4

69,1

-3,3

E.S.P.

68,3

68,8

+0,5

F.E.P.

62,5

63,5

+1,0

G.M.B.

71,2

72,9

+1,8

I.F.V.

74,6

73,9

-0,7

I.C.A.O.

54,5

52,1

-2,4

I.B.G.

78,6

78,6

0,0

J.C.M.

84,8

83,8

-1,0

L.A.K.

77,4

77,4

0,0

M.A.B.

82,0

81,3

-0,7

M.E.B.G.

78,0

78,0

0,0

N.K.C.L.

62,6

60,9

-1,0

R.M.S.

75,0

74,1

-0,9

R.G.

87,7

89,5

+1,8

S.R.E.M.

69,9

70,9

-1,0

V.V.B.

72,9

69,6

-3,3

Tabela 1: Resultados obtido da pesagem realizada antes da primeira e 1 (dia) após a última sessão.

Quanto à Perimetria, é o perímetro máximo de um segmento corporal, medido em ângulo reto em relação ao seu maior eixo (Martins, 2006). As voluntárias foram mensuradas antes da primeira sessão de aplicação do protocolo e 1 (um) dia após a última sessão do protocolo, em 7 pontos pré-determinados partindo de acidentes anatômicos como referência, sendo que as 20 voluntárias apresentaram a redução das medidas.

Segundo o professor Moisés Mendes, 2008, a mensuração dos segmentos corporais que correspondem às circunferências podem auxiliar estudos de crescimento bem como fornecer índices de estado nutricional e níveis de gordura, apesar de ser uma estimativa indireta. Sendo esta a indicação de resultado do tratamento.

Voluntária

cicatriz umbilical

5cm acima

5cm abaixo

10cm abaixo

culote

coxa D

coxa E

A.P.S.

-1,5

-1,5

0,0

-0,5

0,0

-1,0

0,0

C.M.R.P.

-5,5

-9,0

-4,5

-2,0

-5,0

-2,5

-2,0

C.S.B.

-2,0

-3,0

-2,5

-3,0

-3,5

-1,3

-2,0

C.S.G.

-3,0

-2,5

-1,5

-1,5

-3,5

-1,0

-1,5

D.C.P.

-5,0

-5,5

-2,5

-2,5

-0,5

-1,0

-0,5

E.S.P.

-5,0

-5,0

-3,0

-3,0

-2,5

-0,5

-2,0

F.E.P.

-1,5

-1,8

-1,1

+1,9

0,0

-2,5

-3,2

G.M.B.

-1,5

-3,5

-1,0

+4,0

-1,0

-0,5

-1,0

I.F.V.

-4,5

-11,0

-1,5

-1,5

-0,5

-1,0

-1,0

I.C.A.O.

-5,0

-5,0

-5,0

-3,0

-1,0

-3,0

-1,5

I.B.G.

-1,5

-9,0

-2,5

-3,0

-2,0

-2,5

-2,5

J.C.M.

-3,0

-2,0

-12,5

-1,5

-3,0

-1,0

-0,5

L.A.K.

-3,5

-1,0

-6,5

-4,5

-2,0

-1,0

-2,0

M.A.B.

-6,5

-2,5

-0,5

-2,9

0,0

-4,5

-3,0

M.E.B.G.

-0,5

-1,0

-3,0

-3,2

-1,0

-0,6

+1,5

N.K.C.L.

-3,5

-3,0

-3,0

-4,0

-3,0

-1,5

-2,0

R.M.S.

-2,5

-2,0

-10,5

-3,5

-4,0

-2,0

-2,5

R.G.

-1,5

-4,0

-1,5

-2,0

-0,5

-1,5

-0,5

S.R.E.M.

-2,5

-2,0

-3,0

-2,0

-2,0

0,0

0,0

V.V.B.

-4,5

-6,0

-3,5

-2,5

-4,5

-2,5

-3,0

Tabela 2: Resultados obtidos da perimetria realizada antes da primeira e 1 (dia) após a última sessão.

A plicometria, segundo McARDLE, KATCH & KATCH (1985), segue a lógica para a medida das dobras cutâneas baseia-se no fato de que aproximadamente metade do conteúdo corporal total da gordura fica localizada nos depósitos adiposos existentes diretamente debaixo da pele e essa está diretamente relacionada com a gordura total.

Lohman (1981), afirma também, que um dos mais práticos caminhos para a avaliação da composição corporal de populações de adultos entre 20 e 50 anos de idade é o uso das dobras cutâneas, isto porque de 50% a 70 % da gordura corporal está localizada subcutaneamente e algumas dobras cutâneas têm mostrado relação com a adiposidade corporal total.

Voluntária

Abdômen

Crista Ilíca D

Crista Ilíca E

Culote D

Culote E

A.P.S.

-1,3

-1,9

-1,6

-1,8

-2,9

C.M.R.P.

-4,5

-0,9

-1,1

-1,3

-1,8

C.S.B.

-1,2

-2,1

-1,7

-2,7

-2,3

C.S.G.

-2,0

-0,6

-1,2

-2,6

-2,0

D.C.P.

-1,2

-0,6

-1,9

-0,6

-0,3

E.S.P.

-2,2

-0,4

-1,2

-2,4

-1,6

F.E.P.

-2,4

-0,9

+0,5

-0,3

-1,8

G.M.B.

-2,6

-1,2

-0,2

-2,1

-4,8

I.F.V.

-1,5

-2,3

-2,8

-2,3

-1,5

I.C.A.O.

-1,6

-3,1

-1,9

-0,2

-1,5

I.B.G.

-1,9

-2,9

-1,6

0,0

-0,7

J.C.M.

-4,2

-2,2

-4,7

-0,6

-1,6

L.A.K.

-2,0

-0,9

-1,4

-3,7

-3,4

M.A.B.

-1,2

-0,3

-1,1

-1,1

-1,0

M.E.B.G.

-3,6

-1,5

-0,6

-2,7

-2,9

N.K.C.L.

-2,5

-0,5

-1,8

-1,2

-1,7

R.M.S.

-2,0

-5,2

-3,0

-3,0

-0,6

R.G.

-1,7

-1,7

-1,4

-0,2

-1,0

S.R.E.M.

-1,5

-0,5

-0,9

-0,6

-0,3

V.V.B.

-1,0

-1,2

+1,6

-0,4

-1,0

Tabela 3: Resultados obtidos da Plicometria realizada antes da primeira e 1 (dia) após a última sessão.

A bioimpedância, uma técnica segura, rápida, aplicável à prática clínica e estudos de campo, com relativa simplicidade e alta reprodutibilidade é outro método que realiza a estimativa da composição corporal sob bases teóricas (OLIVEIRA, et al., 2000).

Através da condução elétrica pelo corpo em quatro pontos (mãos e pés) visa medir a resposta celular, pois os tecidos biológicos agem como isolantes e condutores de corrente. Os componentes corporais oferecem uma resistência diferenciada à passagem da corrente elétrica, os ossos e a gordura, que contém uma pequena quantidade de água constituem um meio de baixa conectividade, ou seja, uma alta resistência à corrente elétrica. Já a massa muscular e outros tecidos ricos em água e eletrólitos, são bons condutores, permitindo mais facilmente a passagem de corrente elétrica. Sendo levado em consideração para esta análise aos seguintes parâmetros:

A Porcentagem de Gordura Corporal é um valor determinado do teor de gordura no organismo em relação ao próprio peso corporal, segundo referência utilizada pelo equipamento utilizado para a medição, a indicação de referência para mulheres é:

Voluntária

Total

Tronco

Perna D

Perna E

Braço D

Braço E

A.P.S.

+1,3

+1,7

-0,9

+0,4

+1,2

+1,1

C.M.R.P.

-0,9

-0,8

-0,6

-0,1

-1,5

-3,7

C.S.B.

-1,6

-0,8

-4,0

-2,0

+0,9

-2,7

C.S.G.

-2,0

-2,6

-0,8

-0,7

-3,1

-3,1

D.C.P.

-2,2

-3,8

+0,4

-0,4

-1,9

+1,5

E.S.P.

-0,5

-0,2

-1,8

-1,0

+0,2

+0,4

F.E.P.

+0,3

+0,6

-0,4

-0,3

+1,0

+0,6

G.M.B.

-3,2

+3,2

+3,5

+3,6

+2,4

.2,1

I.F.V.

-1,5

-2,8

-0,1

-0,5

+1,3

-1,1

I.C.A.O.

-2,7

-2,9

-2,1

-2,2

-5,6

-1,4

I.B.G.

0,0

0,0

0,0

0,0

0,0

0,0

J.C.M.

+2,2

+2,1

+2,1

+1,5

+0,7

+0,6

L.A.K.

0,0

0,0

0,0

0,0

0,0

0,0

M.A.B.

-0,5

-0,7

+0,6

-0,5

-1,1

-1,7

M.E.B.G.

0,0

0,0

0,0

0,0

0,0

0,0

N.K.C.L.

+1,0

-1,0

+0,7

+1,8

-0,4

+0,9

R.M.S.

+2,7

+6,0

-1,5

-1,6

+2,4

-1,3

R.G.

-0,1

–0,8

+0,9

+0,4

-1,8

-3,1

S.R.E.M.

-0,2

-0,3

-0,2

-0,2

-1,3

+0,6

V.V.B.

-1,2

0,0

-3,2

-3,4

-0,3

-1,6

Tabela 4: Resultados obtidoa da Bioimpedância realizada antes da primeira e 1 (dia) após a última sessão.

A BMR em Kcal é a taxa metabólica basal (também conhecida como TMB) mede a quantidade mínima de energia necessária para manter as funções fisiológicas em repouso. Sendo esta uma discussão nos tratamentos estéticos, pois muito clientes que buscam este tipo de tratamento são sedentários, e o resultado da avaliação demonstrou que o tratamento não é capaz de incrementar esta função e que portanto não é descartada a necessidade de realizar atividades físicas.

Voluntária

1ª sessão

20ª sessão

Resultado

A.P.S.

1375

1332

-43

C.M.R.P.

1418

1395

-23

C.S.B.

1211

1202

-9

C.S.G.

1121

1146

+25

D.C.P.

1486

1458

-28

E.S.P.

1355

1372

+17

F.E.P.

1343

1354

-11

G.M.B.

1370

1346

-24

I.F.V.

1446

1358

-88

I.C.A.O.

1249

1228

-21

I.B.G.

1494

1494

0

J.C.M.

1701

1669

-32

L.A.K.

1443

1443

0

M.A.B.

1533

1529

-4

M.E.B.G.

1422

1422

0

N.K.C.L.

1457

1410

-47

R.M.S.

1463

1401

-62

R.G.

1563

1595

+32

S.R.E.M.

1339

1358

+19

V.V.B.

1483

1438

-45

Tabela 5: Resultados obtidos da Bioimpedância realizada antes da primeira e 1 (dia) após a última sessão.

Porcentagem de água, neste parâmetro a definição é da porcentagem total de água no organismo, traduzida pela quantidade de fluido no corpo de um indivíduo sendo um tipo de referência para a indicação da necessidade de maior ingestão e isto se traduz no tratamento como acelerador de trocas através da membrana celular e desintoxicante.

A referência do equipamento Tanita ® é: Mulher de 45 à 60% e Homem de 50 à 65%. Sete voluntárias tiveram diminuição deste percentual, dez voluntárias aumentaram e três permaneceram inalteradas. Sendo que quatro apresentavam-se na primeira avaliação levemente abaixo da porcentagem indicada e na segunda aumentaram o percentual.

Voluntária

1ª sessão

20ª sessão

Resultado

A.P.S.

47,0

46,0

-1,0

C.M.R.P.

53,2

53,7

-0,5

C.S.B.

49,2

50,3

+1,1

C.S.G.

45,9

47,4

+1,5

D.C.P.

49,9

51,5

+0,6

E.S.P.

48,4

48,8

+0,4

F.E.P.

52,4

52,3

-0,1

G.M.B.

46,2

43,8

-2,0

I.F.V.

43,1

44,3

+1,2

I.C.A.O.

56,6

58,4

+1,8

I.B.G.

44,4

44,4

0,0

J.C.M.

47,3

47,2

-0,1

L.A.K.

45,5

45,5

0,0

M.A.B.

44,2

44,6

+0,4

M.E.B.G.

43,0

43,0

0,0

N.K.C.L.

55,8

54,9

-0,9

R.M.S.

48

45,9

-2,1

R.G.

43,3

43,4

+0,1

S.R.E.M.

45,6

45,8

+0,2

V.V.B.

49,4

50,2

+0,8

Tabela 6: Resultados obtidos da Bioimpedância realizada antes da primeira e 1 (dia) após a última sessão.

O Perfil lipídico avaliado foi o colesterol total que é o principal esterol dos animais superiores. Encontrado em todos os tecidos do corpo, especialmente no cérebro, na medula espinhal e em gorduras e óleos animais. Também é parte constituinte de diversas membranas e ponto de partida para a formação dos ácidos biliares, hormônios esteroides (sexuais e glicocorticoides) e membranas celulares.

Uma pequena parte do colesterol do corpo circula no sangue em partículas complexas chamadas lipoproteínas. Estas incluem partículas que transportam o excesso de colesterol dos tecidos para serem eliminadas no fígado (colesterol HDL) e partículas que depositam o colesterol nos tecidos e órgãos (colesterol LDL). O exame de colesterol mede o colesterol total no sangue. O corpo produz o colesterol necessário para seu funcionamento, mas ele também é absorvido da dieta.

Os triglicerídeos são uma forma importante de gordura que fornece energia para as células. A maior parte dos triglicerídeos se encontra no tecido gorduroso (adiposo) do corpo, mas uma quantidade circula no sangue para fornecer combustível para os músculos. Depois que a pessoa se alimenta, os níveis sanguíneos de triglicerídeos aumentam enquanto o corpo converte em gordura a energia que não vai ser usada imediatamente.

Os triglicerídeos são transportados pelo sangue do intestino para serem armazenados no tecido gorduroso. Entre as refeições, triglicerídeos são liberados do tecido gorduroso para serem usados como fonte de energia pelo corpo. A maior parte dos triglicerídeos é transportada no sangue por lipoproteínas chamadas lipoproteínas de densidade muito baixa (em inglês, VLDL, very low density lipoproteins).

Na visualização dos resultados 19 voluntárias apresentaram redução do colesterol total e apenas um apresentou aumento, não significativo.

Voluntária

Total

LDL

HDL

VLDL

Triglicérides

A.P.S.

-25,9

-31,4

+0,8

+4,7

+23,6

C.M.R.P.

-16,9

-13,9

-2,6

0,0

+0,2

C.S.B.

-9,7

-13,7

+2,5

+1,5

+7,4

C.S.G.

-2,1

-14,8

+1,7

+11,0

+54,9

D.C.P.

-25,6

-26,8

-5,7

+7,0

+34,9

E.S.P.

-9,3

-13,4

+0,9

+3,2

+15,9

F.E.P.

-50,0

-41,2

-7,4

-1,4

-7,0

G.M.B.

+12,3

+20,4

-7,6

-0,5

-2,8

I.F.V.

-26,0

-13,8

-6,3

-5,9

-29,5

I.C.A.O.

-53,2

-51,0

-6,1

+3,9

+19,8

I.B.G.

-2,0

-22,4

+9,9

+10,5

+52,5

J.C.M.

-32,2

-31,0

-4,0

+2,4

+12,4

L.A.K.

-48,4

-41,1

-7,7

+0,4

+2,2

M.A.B.

-86,8

-46,3

-20,6

+19,9

-99,3

M.E.B.G.

-15,7

-13,2

+0,5

-3,0

-14,7

N.K.C.L.

-46,7

-46,2

-10,0

-10,3

-51,6

R.M.S.

-37,6

-24,6

-8,4

-4,6

-22,8

R.G.

-29,7

-22,1

-14,4

+6,8

+33,9

S.R.E.M.

-30,7

-35,5

+1,9

+2,9

+14,3

V.V.B.

-19,5

-20,9

-0,7

+2,1

+10,6

Tabela 7: Resultados obtidos dos exames bioquímicos realizados antes da primeira e 1 (dia) após a última sessão.

O IMC foi desenvolvido por Lambert Quételet no fim do século XIX. Trata-se de um método fácil e rápido para a avaliação do nível de gordura corporal, ou seja, é um preditor internacional de obesidade adotado pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Dentro do referêncial, 4 estavam no peso ideal, 13 estavam em sobrepeso e 3 em obesidade Grau I. Após a conclusão da apicação do protocolo o quadro manteve-se, sendo que 11 diminuíram o índice, 5 aumentaram e 4 permaneceram inalteradas.

Voluntária

1ª sessão

20ª sessão

Resultado

A.P.S.

26,6

26,0

-0,5

C.M.R.P.

24,8

24,2

-0,6

C.S.B.

25,5

24,8

-0,7

C.S.G.

23,6

23,6

0,0

D.C.P.

26,3

25,1

-1,2

E.S.P.

27,0

27,2

+0,2

F.E.P.

21,1

21,5

+0,4

G.M.B.

27,8

28,8

+0,7

I.F.V.

28,8

28,5

-0,3

I.C.A.O.

21,6

20,6

-1,0

I.B.G.

28,9

28,9

0,0

J.C.M.

29,3

29,0

-0,3

L.A.K.

32,2

32,2

0,0

M.A.B.

28,7

28,5

-0,2

M.E.B.G.

29,7

29,7

0,0

N.K.C.L.

26,1

25,3

-0,8

R.M.S.

32,0

31,7

-0,3

R.G.

31,1

31,7

+0,6

S.R.E.M.

25,7

26,0

+0,3

V.V.B.

26,5

25,3

-1,2

Tabela 8: Resultados obtidos pelol cálculo de IMC realizado antes da primeira e 1 (dia) após a última sessão.

Exames como: tomografia computadorizada, ressonância magnética e densitomigrafia, são eficazes, porém apresentam altos custos e baixa disponibilidade (KOOY & SEIDELL, 1983).

Os resultados obtidos com a voluntária J.C.M. demonstraram a redução da espessura da tela subcutânea, o que representa a ação do protocolo não somente na eliminação de líquidos acumulados que poderia ser confundido pela perimetria, mas também ação na camada de células adipocitárias.

Região

1ª sessão

20ª sessão

Resultado

Emergência do tronco cefálico

32,8 mm

32,3mm

– 0,5 mm

Acima da cicatriz umbilical

39,6 mm

41,0mm

+ 1,4 mm

Ao nível de L5-S1

38,1 mm

36,7 mm

– 1,4 mm

Flancos – nível de cicatriz D

31,2 mm

27,5mm

– 3,7 mm

Flancos – nível de cicatriz E

28,6 mm

22,8 mm

– 5,8 mm

Tabela 9: Resultados obtidos da Tomografia computadorizada realizada antes da primeira e 1 (dia) após a última sessão.

É de suma importância que os registros de imagens sejam feitos para os tratamentos estéticos, tanto faciais como corporais. É através delas que são observadas as alterações visuais do resultado dos tratamentos. As fotos foram padronizadas pela mesma câmera, local, iluminação e objetiva. A melhora do contorno corporal e a melhora da PEFE é perfeitamente observada nestes registros.

Foto de cliente em tratamento de desarmonia corporal

Modelo mulher com desarmonia corporal.

Fonte: Imagem da voluntária C.S.G., documentada na 1ª e na 20ª sessão

Mulher com desarmonia corporal em tratamento, Mulher com desarmonia corporal.

Fonte: Imagem da voluntária R.M.S. documentada na 1ª e na 20ª sessão

CONCLUSÃO

Os resultados obtidos neste trabalho permitem concluir que demostrou ser um recurso, de fácil manuseio e de aplicabilidade clínica, com resultados visíveis que contribuem para o efeito visual e resultados clínicos. A sinergia de ativos utilizada demonstrou eficácia na melhora em todos os parâmetros analisados clínica e bioquimicamente, além de resultado visual, que tem extrema importância na satisfação do cliente.

Fabiana Tozo1* Isabel Luiza Piatti2 Loraine Landgraf3

1. Fisioterapeuta, Especialista em Acupuntura. (Curitiba, PR).

2. Tecnologa em Estética. (Curitiba, PR).

3. Médica. Clínica Landgraf (Curitiba, PR).

*Correspondências para: isabel@ciabv.com.br

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Arner P. The adipocyte in insulin resistance: key molecules and the impact of the thiazolidinediones. Trends Endocrinol Metab 2003;14(3):137-45.

Peyrefitte F. Cosmetologia biologia geral biologia da pele. São Paulo: Andei, 425pp. 1998.

Ribeiro C. Cosmetologia Aplicada a Dermoestética.1ª ed. São Paulo. Pharmabooks. 2006.

Kushner RF. Bioelectrical impedance analysis: a review of principles and applications. J Am Coll Nutr 1992; 11 ( 2): 199-09.

LOBO, H. A., BAXTER, Y. C., KISS, M. A. P. D. M., CARAZZATO, J. G., GAGLIARDI, J. F. L., PERROUT, J. L. Estudo comparativo de avaliação da composição corporal pelos métodos antropométrico, bioimpedanciometria e hidrodensitometria em atletas masculinos competitivos de judô. Rev.Bras.Med.Esport., v.2, n.1, p.3-6,.1996.

MATTAR, R. Avaliação da composição corporal por bioimpedância: uma nova perspectiva. Âmbito Med.Esport., v.11, n.13, 22-24, 1995.

OLIVEIRA, M.R. de, et al.. Emagrecimento e composição corporal: estudo comparativo entre bioimpedância elétrica e medidas de dobras cutâneas.Saúde em Revista, v.2, n.3, p. 91-98, 2000.

Ulrich W. A celulite é curável. Rio de Janeiro: Tecnoprint, 1982.

Ciporkin H, Paschoal LH. Atualização terapêutica e fisiopatogênica da lipodistrofia ginóide (LDG) “Celulite”. São Paulo: Santos, 1992.

 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *