Vitamina D e peles maduras

Os benefícios da Vitamina D para a pele já podem ser obtidos por meio da aplicação tópica de um inovador ativo cosmético que combate o envelhecimento ao oferecer para o tecido os mesmos efeitos desse nutriente.

Recentes descobertas da área médica indicam que, além de estar relacionada à manutenção de ossos fortes, a Vitamina D está associada ao bom funcionamento do organismo como um todo, inclusive para a beleza e saúde da pele, pois a falta desse nutriente deixa a pele opaca, sem viço e mais propensa ao aparecimento de rugas e linhas finas.

A Vitamina D, também chamada como vitamina do sol, é na verdade um hormônio, que modula o funcionamento de vários sistemas do nosso organismo, como o imunológico, por exemplo, tendo influência direta em ossos, coração, processos infecciosos, entre outros. Ela pode ser obtida de fontes externas, como o óleo de fígado, além de ser produzida de maneira endógena pelo próprio corpo humano, através da epiderme, quando ocorre a exposição aos raios solares.

O processo de envelhecimento é justamente um dos responsáveis por fazer com que haja diminuição nos níveis dessa vitamina, além da baixa exposição solar e do uso de medidas de fotoproteção. Estudos mostram que cerca de 80% dos brasileiros acima dos 50 anos apresentam deficiência da Vitamina D no organismo, segundo dados do Grupo de Doenças Osteometabólicas da Escola Paulista de Medicina, da Universidade Federal de São Paulo.

Depois dos 50 anos o organismo passa a enfrentar fortes processos degenerativos de modo gradual. A hidratação da pele e a absorção de nutrientes ficam bastante comprometidos, reduzindo a nutrição celular. As células epidérmicas não se reproduzem tão rapidamente, as rugas ficam ainda mais evidentes e a pele fica fragilizada, com tendência a descamar. Nessa etapa é recomendado o uso de cosméticos com ativos que ajudem na reestruturação da pele, recuperando-a dos danos causados pelo envelhecimento.

De um modo geral, as peles maduras sofrem com a carência de minerais e vitaminas, menor nutrição e oxigenação, função protetora e reparativa reduzida, ou seja, há perda da ação antioxidante bem como redução das funções enzimáticas e de síntese, menor comunicação celular, redução de espessura e qualidade da barreira cutânea, resultando em desidratação, além do aparecimento de manchas e de sofrer perda na função imunológica, na produção de sebo pelas glândulas sebáceas e menor reposição de NMF, que é o fator de hidratação natural da pele.

Cosméticos com ação da Vitamina D

Atenta às necessidades da Vitamina D para o organismo, a indústria cosmética buscou alternativas de compensar, por meio do uso tópico, os benefícios da Vitamina B, reparando no tecido os danos decorrentes da deficiência desse nutriente em peles maduras e envelhecidas. É aí que o mercado brasileiro se sobressai e apresenta uma grande novidade exclusiva em produtos cosméticos no país, no que diz respeito a tratamentos de reestruturação e rejuvenescimento: a Vitamina D Like (Vederine).

Esse ativo age de maneira similar à Vitamina D, essencial para esse tipo de pele, já que nessa fase da vida há redução da síntese desse componente no organismo. Na prática, a Vitamina D Like atua estimulando a mesma ação e resposta celular da Vitamina D no tecido cutâneo, como o controle dos fatores de crescimento, ação na diferenciação e proteção celular, além de exercer papel imunológico.

A Vitamina D é responsável ainda por regular numerosos processos na pele, inclusive a formação e manutenção da barreira epidermal, desenvolvimento de capilares sanguíneos e fortalecimento do sistema imune nato. Quando envelhecemos, a síntese endógena de Vitamina D diminui, afetando os mecanismos celulares regulados por ela. Por isso a grande importância de devolver a capacidade endógena de peles maduras no estímulo desses mecanismos de sinalização, pois a Vitamina D está ligada ao controle da diferenciação celular da epiderme.

Dessa forma, o ativo inovador Vitamina D Like atua restaurando as funções dos receptores da Vitamina D lesados pelo processo de envelhecimento e estimulando os mecanismos moleculares envolvidos na diferenciação de queratinócitos que aceleram a recuperação da barreira cutânea e a renovação da epiderme, promovendo o efeito de reestruturação da pele. A Vitamina D Like (Vederine), inclusive, foi a ganhadora do Prêmio de Ouro na In Cosmetics Asia, em novembro de 2012, como ativo mais inovador.

Consumidor potencial

O aumento na expectativa de vida, a evolução da medicina e o avanço tecnológico, além da própria preocupação das pessoas com a melhoria da qualidade de vida são alguns fatores que tiveram influência no desenvolvimento e crescimento do mercado cosmético voltado para a terceira idade.

Aumento da expectativa de vida dos brasileiros:

2000 – 69,7 anos

2008 – 72,8 anos

2050 – 81,3 anos

Outro dado importante é que o público acima dos 60 anos representa 43% da classe de renda mais alta (acima de dez salários mínimos). Esse público tem como estímulo de compra a localização, preço dos produtos, busca de informações em tabloides e encartes e gostam de experimentar marcas novas. O mais relevante para o setor estético, no entanto, é de que 51% dos gastos pessoaIs desse público são destinados a produtos de beleza. Todas essas informações também contribuem para que o mercado dedique cada vez mais atenção a esse público em especial.

A verdade é que, seja qual for a idade, o consumo com a vaidade é crescente no Brasil, fazendo com que as pessoas cheguem à terceira idade cada vez mais vaidosas e ativas. E a indústria cosmética, é claro, acompanha esse crescimento oferecendo produtos diferenciados e específicos a esse público. E não há limites que impeçam esse consumidor de se render aos encantos inovadores da tecnologia que beneficia o envelhecimento com qualidade.

Afinal, envelhecer é um processo natural – e inevitável – a todos os seres humanos, bem como as alterações físicas e biológicas dele advindas, mas nem por isso precisa deixar estampado no rosto as marcas do tempo. É por isso que tanto homens quanto mulheres têm procurado alternativas para retardar ou amenizar os sinais e efeitos do envelhecimento.

Nesse ponto, tanto a indústria cosmética quanto os profissionais que atuam na área de estética passam a ser grandes aliados no caminho da eterna busca pela juventude.

Mas infelizmente o que vemos na prática é que nem todos os profissionais estão realmente preparados para atender essa demanda. Por isso, para que possam se destacar no mercado, é importante que invistam em conhecimento, que ofereçam atendimentos diferenciados e busquem se atualizar constantemente.  Esse tipo de capacitação faz com que o profissional seja um exímio conhecedor das alterações fisiológicas e anatômicas do indivíduo na terceira idade e, portanto, esteja atento para as particularidades de cada atendimento para direcionar os tratamentos.

Protocolos estéticos em peles maduras

As indicações estéticas para clientes que se encaixam no perfil de peles maduras ou com sinais avançados de envelhecimento geralmente estão direcionadas para protocolos de hidratação, recuperação e revitalização.

A tendência à desidratação, por exemplo, se dá porque a água, que pode representar até 70% do peso total de uma pessoa, vai reduzindo consideravelmente com o passar do tempo e, por volta dos 60 anos, pode chegar a apenas 40%. Como consequência da desidratação das células está o ressecamento da pele, baixa eliminação de toxinas e mau funcionamento de vários órgãos do corpo. Por isso a importância de se manter o organismo bem hidratado não só por meio do consumo de água como também com a utilização de produtos cosméticos com essa finalidade, que ajudarão a manter o líquido já existente no tecido epitelial.

Conheça as particularidades das peles maduras e envelhecidas:

1 – Falta de substratos:

– Carência nutricional

– Aporte sanguíneo comprometido

– Resultado: carência de aminoácidos, vitaminas, sais minerais, silícios, lipídeos estruturais

2 – Proteção comprometida:

– Desequilíbrio da flora normal e pH

– Falha na barreira cutânea

– Redução da ação antioxidante

– Falha na reparação de células e moléculas já lesadas

3 – Alterações funcionais e estruturais:

– Falha na comunicação celular

– Menor resposta à sinalização

– Disfunções, maior surgimento de manchas

– Desidratação do tecido e, consequentemente, aumento de degradação tecidual

Para cada uma dessas situações o tratamento irá oferecer objetivos específicos e bem direcionados, como:

1 – Reposição in loco

– Aminoácidos

– Ômegas

– Esqualeno

– NMF

– Sais Minerais

– Silícios

– Vitaminas

2 – Melhora da proteção

– Equilíbrio da flora cutânea com pré e probióticos

– Recuperação da barreira por estimular sua síntese e prover substratos

– Ação antioxidante

– Ação antiglicante

3 – Ampliar a comunicação

– Ativos com ação estimulante sobre renovação e produção

– Restauração da função de receptores, tornando-os novamente funcionais

– Ativos com ação de uniformização da tonalidade da pele

– Garantia da hidratação por diferentes mecanismos, reposição da hidratação fisiológica natural (NMF) e hidratação 3D

O potencial da sinergia de Ativos

Alguns ativos cosméticos voltados para peles maduras e desvitalizadas, quando associados, atuam em sinergia potencializando os resultados e proporcionando um tratamento completo que supre integralmente as necessidades desse tipo de pele. A presença desses ativos em cosméticos para uso diário propicia de maneira única a reversão dos sinais do envelhecimento, por isso pode-se dizer que esse tipo de sinergia constitui o que há de mais moderno e inovador em termos de formulação cosmética.

Conheça alguns ativos:

Colágeno Hidrolisado Promove hidratação e potencializa o metabolismo epidérmico, importante para a manutenção da pele, aumentando sua resistência e elasticidade.
Óleo de semente de uva Rico em antioxidantes e ômegas essenciais, melhora a textura da pele, previne o ressecamento e auxilia na hidratação
Extrato de chá verde Ação antioxidante, antirradicais livres, minimiza a degradação de fibras colágenas, além de promover proteção ao DNA celular
Ecoskin Ativo inovador que oferece ação pré e probiótica para o reequilíbrio da flora cutânea, importante para as funções fisiológicas da pele. Fortalece as defesas biológicas da pele e aumenta sua luminosidade
Niacinamide NP Ação iluminadora, hidratante e rejuvenescedor. Fortalece a barreira epidermal e seu uso contínuo contribui para uniformizar o tom da pele, reduzindo a aparência das manchas de idade
Calcidone Combinação do cálcio e L-PCA, atua no papel de barreira da pele, estimula o processo de diferenciação celular e ativa a síntese de todos os lipídeos da epiderme, principalmente das ceramidas
Physiogenyl Composto que contém Sódio PCA, Magnésio PCA, Zinco PCA e Manganês PCA, é considerado “o café da manhã da pele”, responde às suas necessidades vitais. Promove a reposição de sais minerais e constituintes do NMF (fator natural de hidratação), responsáveis por reações enzimáticas, hidratação e renovação celular
Hydroviton 24 Repõem sais minerais e promove hidratação ativa à pele por até 24 horas após a aplicação. É composto por uma mistura de aminoácidos, lactato sódico, ureia, alantoína, álcoois polivalentes
Vitamina D Like Ativo inovador e inédito em cosméticos no Brasil, restaura as funções dos receptores da Vitamina D lesados pelo envelhecimento. Acelera a recuperação da barreira cutânea, a renovação da epiderme e promove efeito de reestruturação da pele, melhora da sua estrutura e dos contornos faciais
Revinage Promove o mesmo efeito da Vitamina A na pele, sendo considerado o verdadeiro retinoide like. Possui ação clareadora de manchas, estímulo à renovação celular e pró-colágeno, antiaging, anti-inflamatório e proteção à integridade do DNA. Ou seja, minimiza rugas, melhora a textura e luminosidade da pele e restaura a firmeza em peles maduras
Hydroxyprolisilane CN Estimula a biossíntese de colágeno, reduz a oxidação e, consequentemente, o processo de envelhecimento, melhorando e acelerando a regeneração celular e o processo de hidratação
Óleo de Rosa Mosqueta Possui poder de regeneração dos tecidos, ajuda a prevenir e tratar o envelhecimento da pele, diminuindo as linhas de expressão e rugas, além de promover hidratação e ação clareadora, reduzindo manchas da pele causadas pelo sol ou por envelhecimento
Plantec Olive Active HP Ação antiglicante e antioxidante, combate os dois principais responsáveis pelo envelhecimento: os radicais livres e as reações de cross-linking responsáveis pela glicação e degradação de DNA e fibras proteicas. O ativo ainda é fonte de esqualenos de origem vegetal que promovem a recuperação da barreira cutânea, propiciando hidratação e suavidade à pele
Hydromanil Promove hidratação imediata e de longa duração, sendo que esta hidratação 3D melhora a adesão entre as células e reduz a descamação, recuperando o bom aspecto e dando aparência viçosa à pele
Trehalose Obtida da planta da ressurreição, cuja capacidade de ressuscitar após períodos de seca ocorre devido à sua grande capacidade de retenção hídrica. Promove hidratação e protege as células de serem lesadas e degradadas pela desidratação comum às peles maduras

 

A associação desses ativos é importante pois vai reunir todas as ações desejadas para combater os sinais do tempo, que são: renovação da epiderme, síntese de novas fibras de colágeno, hidratação de longa duração, nutrição do tecido, uniformização da tonalidade e luminosidade, ação antiglicante, recuperação da barreira cutânea, terapia de reposição de silícios orgânicos, efeito antioxidante e reposição de aminoácidos. Como resultado, obtém-se uma pele mais saudável, com restauração da textura e fortalecimento da estrutura de sustentação e, consequentemente, mais firme, com menos linhas de expressão e efeito “sculpt” de modelagem do contorno facial.

Escolha consciente
A substituição dos óleos minerais nos cosméticos, por óleos vegetais, com ômegas biodisponíveis, representa não apenas um avanço da indústria cosmética em termos de ciência e tecnologia, mas principalmente uma postura sustentável e de respeito ao consumidor. Os óleos minerais provocam tamponamento na superfície do tecido, impedindo a penetração de ativos, já os óleos vegetais proporcionam mais vitalidade, melhor nutrição e hidratação, fatores essenciais quando se trata de peles maduras, além de ajudarem na penetração dos ativos e maximizarem os resultados.

Cabe destacar ainda que a baixa imunidade comum à terceira idade favorece reações alérgicas e de sensibilização na pele, inclusive ao uso de cosméticos. Por isso a recomendação de que o profissional sempre opte e indique produtos que tenham Bases Biocompatíveis, livres de óleo mineral e também de parafina, que possui a mesma base do óleo mineral, portanto as mesmas contraindicações. Também é importante que sejam também livres de Parabenos, conservantes usados em larga escala pela indústria cosmética em geral, mas cujo uso prolongado pode provocar reações indesejadas; livres de Propilenoglicol, substância com alto poder de irritação; e de DMDM Hidantoin e Imidazolidinil Urea, conservantes que, em contato com a pele que recebe aquecimento, seja por fricção ou radiação solar, liberam formaldeído, o famoso formol, que é nocivo e proibido no Brasil. Faça uma escolha segura e consciente!

Referências Bibliográficas:
FANDOS, Dr. Luiz S. Alta-cosmética I e II: Fundamentos de Cosmética. Buenos Aires: El autor, 2004.

KEDE, Maria Paulina Villarejo & Sabatovich, Oleg. Dermatologia Estética. São Paulo. Editora Atheneu, 2004.

OLSZEWER, Efrain. Como vencer a batalha contra o envelhecimento. – São Paulo. Ed. Ícones, 2005.

SPIRDUSO, Waneen W. Dimensões Físicas do Envelhecimento. Barueri/SP. Editora Manole, 2005.

HARRIS, Maria I. N. C. Pele: estrutura, propriedades e envelhecimento. São Paulo. Ed.SENAC São Paulo, 2003.
ARNOLD F, MERCIER M, TRINH Luu M. Metabolism of Vitamin D in Skin: Benefits for Skin Care Applications. Cosmetics & Toiletries Magazine, 124, 10, 40-45 (2009).

LEHMANN B. Role of the Vitamin D3 Pathway in healthy and diseased skin – facts, contradictions anda hypotheses. Experimental Dermatology, 18, 97-108 (2008).

LU J, GOLDSTEIN KM, CHEN P, HUANG S, GELBERT LM, NAGPAL S. Transcriptional Profiling of Keratinocytes reveals a Vitamin D-Regulated epidermal differentiation Network. The journal of investigative dermatology, 124, 778-785 (2005).

REVISTA VEJA. 16 de janeiro de 2013. Págs 67 – 75.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *